Depois de extintas ao fim do período colonial, quando eram comumente organizadas por ocasião de festividades ligadas à família real portuguesa, no Rio de Janeiro as touradas voltaram a ser promovidas na década de 1840, a partir de então em um formato empresarial, sendo remunerados os membros da equipe tauromáquica. Todavia, em muitas ocasiões foram organizadas provas de “curiosos”: amadores voluntários enfrentavam os touros por módicos prêmios.
O desempenho desses amadores era comumente motivo de críticas, pela inabilidade dos performers, que resvalava em “inaceitáveis cenas de crueldade com o touro”. Alguns “curiosos”, contudo, não se mostram rogados com as críticas e resolveram criar uma agremiação própria. Os “amadores da tauromachia” se reuniram no Real Club Ginástico Português e, no fim de janeiro de 1877, fundaram o Clube Tauromáquico. A proposta do Clube Tauromáquico era organizar os “curiosos” que apreciavam e participavam ativamente das touradas sem interesses profissionais. Os sócios se reuniam com frequência e organizavam atividades na praça da rua Marquês de Abrantes, graças a cessão gratuita do proprietário, Sr. Manoel Antonio de Brito Sejosker. Maiores informações ver: https://historiadoesporte.wordpress.com/2014/01/18/o-clube-tauromaquico-18771878/

Endereço

Endereço:

R. Marquês de Abrantes, 20 - Flamengo, Rio de Janeiro - RJ, 22230-061

GPS:

-22.9340416, -43.1774973

Telefone:

-

E-mail:

-

Web:

-